A IM Magazine encontra pessoas extraordinárias para te inspirar face aos desafios que enfrentas. Para ver em: http://www.magazineim.com/home/

01
Nov 10

A Luísa Reis decidiu iniciar uma Campanha de Solidariedade de nome “Saber e Ajudar”, com o objectivo de enviar um contentor de donativos para Moçambique, mais concretamente uma localidade a 1 800Km de Maputo, no interior norte, na alta-Zambézia.

É uma região algo negligenciada e muito atrasada, precisamente onde se localiza o orfanato Lar Arco-Íris , no qual vive a sua afilhada, e um amigo dela, Vitor Barata, que desenvolve obras e está no terreno totalmente voluntário, realizando um trabalho com profunda motivação, compaixão e sensibilidade, que para ser bem sucedido precisa de ajuda exterior.

Segundo a Luísa há um longo caminho a percorrer, mas está tudo a correr dentro das espectativas. As pessoas estão a colaborar nos donativos e como vive num meio pequeno (Alcochete), está a sentir uma união muito forte.

Pretende realizar alguns espectáculos e tambem um jantar de solidariedade para angariar donativos monetários, pois as despesas de transporte para o envio do contentor são muito elevadas.

Especialmente para o efeito, já iniciou um BLOG para acompanhar toda esta campanha, e se quer saber mais ou como ajudar, o endereço é o seguinte:

http://sabereajudar.blogspot.com/

 


publicado por immagazine às 23:42

26
Out 10

Respondendo à pergunta “Porque é que as boas notícias contribuem para a nossa felicidade?” descobrimos os vários itens que vão constituir as diferentes rubricas de Boas Notícias da IM Magazine na SIC Mulher (programa Mais Mulher)

 

A primeira resposta é simples. Ouvir sobre o que de bom se faz em Portugal (e no mundo), focarmos a nossa atenção nos bons exemplos e boas práticas, provoca e reforça emoções positivas – como optimismo, esperança, alegria, confiança, segurança (este ampliar das emoções positivas faz parte de um dos caminhos para felicidade preconizado por Martin Seligman, mentor da Psicologia Positiva,)

 

Por isso... nesta rubrica teremos sempre bons exemplos, boas práticas, bons projectos que fazem bem o bem, de forma inovadora, muitas vezes, de forma integrada e com continuidade. Será interessante destacarmos os novos conceitos * (os novos BANCOS, os novos PADRINHOS, as novas BOLSAS DE VALORES, as novas HORTAS e JARDINS, etc.)

 

NA PRIMEIRA RUBRICA – falámos do Banco de Bens Doados (das suas diferentes valências, mais valias – como tocam a vida das pessoas e preservam o ambiente ao mesmo tempo)

 

Quando utilizamos as nossas forças e virtudes naquilo que fazemos, quando o que realizamos está em sintonia com o que somos e acreditamos, quando seguimos os nossos sonhos, sentimo-nos amplamente gratificados... e felizes.

 

As nossas historias serão inspiradoras. Teremos exemplos positivos de mudança, de coragem, de resiliência, de realização de sonhos.

 

Daremos especial destaque a jovens que procuraram caminhos com os quais se identificassem, que quiseram participar em iniciativas que pudessem gerar mudança positiva (muitas vezes através do voluntariado), acções onde pudessem desenvolver as suas próprias forças e virtudes e que, muito alem das expectativas, sentiram-se amplamente gratificados, felizes e transformados. E porque nunca mais viram o mundo com os mesmos olhos... ergueram projectos de vida que contribuem efectivamente, e de forma consistente, para um mundo melhor.

 

NA PRIMEIRA RUBRICA – contámos a história de Sara Vicente, voluntária em Moçambique, e fundadora do Um Pequeno Gesto, Uma Grande Ajuda.

 

O que nos leva para um dos mais importantes caminhos para a felicidade que é ter uma vida com significado, sentir que contribuímos para algo maior do que nós mesmos. Aliás, nesta rubrica, e nesse mesmo sentido, muitos dos projectos apresentados permitem a participação e envolvimento do telespectador, podendo fazê-lo das mais diversas formas.

 

Para terminar e para revelar um Portugal na linha da frente, teremos sempre uma inovação portuguesa. Algo que nasceu em Portugal, foi criado por portugueses e contribui positivamente para o mundo.

 

NA PRIMEIRA RUBRICA, tivemos o OON Candle Maker que é um “electrodoméstico” que transforma o óleo usado, em velas aromáticas. É o primeiro no mundo, e este novo assistente ecológico é uma grande ajuda para reduzir a pegada humana no planeta… Tem um grande conceito “fazer com que as pessoas se apaixonem pelo seu lixo”. A ideia original é de Mário Rui Silva e é mais uma história de uma ideia que ganhou vida.

 

 

No fim, e contribuindo também para a felicidade de quem nos vê, chega sempre uma última boa notícia: uma oferta. É estar atento.

 

NA PRIMEIRA RUBRICA, temos uma oferta do Le SPA, uma “Exotic Lime and Ginger Salt Glow”, ie, uma esfoliação corporal com sais aromáticos de gengibre e lima seguida  de um ritual de modelagem revigorante que oferecem à pele uma textura suave e acetinada.

 

Para participar encontra as coordenadas num post anterior.

 

Nalgumas rubricas teremos ideias internacionais que seriam interessantes de replicar em Portugal e que serão lançadas enquanto ideias a “apanhar” por pessoas empreendedoras.

publicado por immagazine às 23:49

 

Um litro de óleo de cozinha pode poluir certa de 10.000 litros de água, mas algumas estimativas dizem que um litro de óleo pode poluir até um milhão de litros de água (esta quantidade de água é aproximadamente o que uma pessoa consome em 14 anos).

Agora num gesto assaz romântico, e por causa do sonho e empreendedorismo do Mário Silva, já é possível transformar óleos vegetais usados em velas aromáticas.

 

Para ler esta história contada por Francisco Banha pode ir aqui.

 

Para ouvir o próprio Mário Silva a falar e a contar a sua história na 1ª pessoa pode ver na própria IM Magazine, aqui.

publicado por immagazine às 23:29

Para quem se inspirou a ouvir a história de Sara Vicente que, depois de ter sido voluntária em Moçambique, já ajudou e transformou a vida de centenas de crianças com a Associação Um Pequeno Gesto

... e para quem quer saber como apadrinhar uma criança ou ajudar de outra forma, basta ir ao site http://www.umpequenogesto.org/

 

publicado por immagazine às 23:20

“Diz-se que a necessidade aguça o engenho. Para quem tem a necessidade como área de negócio, a imaginação não é um luxo, é uma ferramenta”. Por isso, Isabel Jonet e a sua equipa todos os anos põem em prática ideias novas. “Sou desinquieta porque não me posso dar ao luxo de assistir impávida a um mundo que tem recursos limitados e nada fazer quando estes são esbanjados.”

 

Enquanto vão abrindo mais bancos alimentares, multiplicam-se outras iniciativas, como a Entreajuda (2005), criada com uma lógica de estabelecer pontes que contribuam para combater a pobreza ou o Banco de Bens Doados, a funcionar há quatro anos.

 

Esta iniciativa permite levar aos mais pobres coisas de que as empresas ou as pessoas não precisam ou não conseguem vender – computadores ultrapassados, mobiliário em bom estado que ficou para trás face à nova decoração, roupa de cama ou de banho que os hotéis renovaram, roupas de bebé que ficaram guardadas…

 

Esta é também a possibilidade dos cidadãos serem responsáveis socialmente e, simultaneamente, reduzirem os impactos ambientais, reutilizando produtos e equipamentos que teriam como destino provável a destruição.

 

Para mais informações: http://www.bancodebensdoados.pt/

publicado por immagazine às 23:15

 

 

Como referido na rubrica Boas Notícias na SIC MUlher, queremos encher a sua vida de boas notícias. E a oferta que temos para si é mais uma delas, a mais exótica fricção corporal do mundo. O Le SPA juntou-se à IM Magazine para lhe proporcionar mais este bom momento, um tratamento/massagem “Exotic Lime and Ginger Salt Glow”.

 

Para ganhar basta ir à homepage da IM Magazine http://immagazine.sapo.pt/pt/home/, clicar no botão do canto inferior esquerdo que diz “newsletter” e preencher os dados, colocando nos comentários uma frase sobre “o que a deixa feliz”. A frase mais criativa será premiada com este tratamento. E todas as participantes ganham 40% de desconto no Le SPA (massagens e tratamentos – excepto massagens do mundo) até ao final de Novembro.



O Passatempo irá decorrer até dia 31 de Outubro.

publicado por immagazine às 23:04

20
Out 10

 

Dia 26 de Outubro vai estrear na SIC Mulher, uma rubrica de Boas Notícias da IM Magazine. Esta rubrica faz parte do novo programa "Mais Mulher", apresentado por Ana Rita Clara. A apresentar a rubrica de Boas Notícias estará a Ana Teresa Silva, directora da IM Magazine.

É já na próxima 3ª feira, das 19h às 20h.


publicado por immagazine às 09:31

17
Ago 10

 

Texto: Leila Dregger*

 

 

Esticar infinitamente os montes de areia do deserto, uma linha de palmeiras à beira da estrada ao longo da qual uma caravana se move lentamente em direção ao horizonte. Imagens como estas desenrolam-se na mente do público quando Yair Dalal toca o alaúde, um antigo instrumento de cordas, que canta. O mundo é um músico israelita, a sua família é de Bagdade. Como membro de uma pequena minoria judaica num país islâmico, ele é o guardião de uma tradição musical rica e através dela tornou-se mundialmente famoso. A sua canção "Zaman al Salam” (tempo para a paz) foi cantada há 15 anos em Oslo, como um hino de paz para ser adoptado por crianças de Israel e da Palestina.

 

Naquela noite, a 22 de Julho, Yair Dalal tocou em Tamera, um centro de investigação para a paz, em Relíquias com a sua voz suave, criando uma atmosfera de quase transe, de escuta intensa e intimidade. Foi a última noite de uma semana de música, a convite do director musical do Centro de Investigação para a Paz, Robert Gasse, com a participação de músicos provenientes de vários países. Depois de algumas músicas tocando sozinho, Yair vai chamando os seus colegas músicos ao palco: a percussionista Sharon Kolton, de Israel, o tocador de oboé Fabian Klebig, da Alemanha. A viver em Portugal os multitalentosos Felix Maria Woschek, assim como Michael Ben Yosef e muitos outros, e, finalmente, todo um coro de cantores. Cerca de 30 músicos enchem o palco, juntamente com instrumentos de sopro, de percussão, de cordas, instrumentos antigos e modernos, numa combinação harmoniosa.

 

Mais tarde entra em cena a banda Poesia Samba Soul, e um novo ritmo global começa. Este grupo de música vem de uma das favelas mais violentas da cidade de São Paulo, Brasil. Através da construção de uma escola de música conseguem retirar as crianças das ruas, oferecendo-lhes algo mais atraente do que as drogas e a violência. O seu sonho é construir uma Favela da Paz. Do deserto estamos de volta aos ritmos quentes da selva. Melodias do Médio Oriente e ritmos de samba caminham juntos uma aliança invulgar. No meio há ainda espaço para a voz celestial da cantora espanhola Anna Conthe e a palestiniana Nimala desliza para o centro do palco, através da dança do ventre, em movimentos que parecem cascatas que inundam o seu corpo e o movem como uma brisa de vento.
Há canções de paz que os participantes da Semana de Música aprenderam juntos, em apenas alguns dias. Assim como o hino "Cantamos al Mundo", que Cláudio Miranda e Ana Conthe compuseram em conjunto na Colômbia, aquando da visita à Aldeia de Paz de San José de Apartado, durante a peregrinação pela paz em Novembro do ano passado.

Robert Gasse, o director do departamento de música de Tamera, afirma: "A música chega à alma de uma forma muito directa. E quando os músicos se juntam desta maneira, surge uma felicidade muito intimista e completa. Quando isso acontece não queremos mais parar de tocar".

 

*jornalista de paz em Tamera, www.tamera.org

publicado por immagazine às 18:32

22
Jul 10

O cinema ao ar livre regressa a Viseu no próximo fim-de-semana. A Praça D. Duarte voltará a acolher filmes capazes de fazer as delícias do grande público e cinéfilos, em excepcionais condições de espaço e convívio, no centro histórico da cidade.

 

PROGRAMA DO CINE CLUBE DE VISEU  
24, 25, 26 JULHO, NA PRAÇA D.DUARTE, VISEU  

publicado por immagazine às 01:50
tags: ,

21
Jul 10

Eco-Andanças: “The Dream Team”

O Andanças criou uma equipa especial, a Eco-Andanças, dedicada em exclusivo a monitorizar e coordenar todos os aspectos do festival, de modo a torná-lo mais sustentável. Do planeamento dos consumos energéticos à operação da cantina, separação de lixo, evitar materiais descartáveis e até no aproveitamento de comida – tudo é pensado de raiz e de forma articulada para que todos os recursos sejam aproveitados ao máximo, produzindo o mínimo de desperdício, com soluções simples e eficazes.


As Novidades de 2010

Menu Quilómetro Zero: coma bem, cá dentro

Uma das novidades a implementar este ano é o Menu Km-Zero. As refeições do Andanças serão confeccionadas, tanto quanto possível, com ingredientes produzidos localmente, em Carvalhais e no Concelho de São Pedro do Sul. O objectivo? Reduzir a pegada de carbono de cada um dos alimentos e o desperdício de dinheiro, energia e comida.

Em vez de cozinhar com produtos trazidos de mercados a milhares de quilómetros de distância, que viajam em camiões, comboios, navios ou aviões que queimam combustível e encarecem o seu preço, porque não utilizar ingredientes locais? Faz bem à saúde, ao planeta e à economia local de Carvalhais, onde há uma boa produção agrícola.

Alguém falou em carros? Bus Andanças

É uma das novidades desta edição: haverá autocarros diários de Lisboa e Porto para Carvalhais e regresso, cujos bilhetes podem ser comprados no site. O objectivo é incentivar os Andantes a deixarem o carro em casa, utilizando transporte colectivo e reduzindo a sua pegada de carbono, enquanto viajam para o festival, sem preocupações e comodamente. E quem sabe, pelo caminho podem conhecer novos amigos.

Plástico Não Entra: Zero Descartável

Há uma imagem do Andanças que perdura na memória de quem visita o festival: onde estão os copos de plástico no chão do recinto no fim da noite, como acontece noutros festivais? Não existem.

Não há copos, nem pratos, nem talheres de plástico. Há canecas reutilizáveis individuais para cada Andante e pratos, talheres e tabuleiros que são lavados com detergentes biodegradáveis, depois de cada refeição.

A Caneca Andanças

Um dos objectos icónicos do Andanças é a “Caneca Andanças”, que os visitantes podem alugar por um euro durante o festival, para beberem todas as bebidas. No final, podem devolver a caneca e receber o dinheiro – ou ficar com ela para o resto do ano (e muitos ficam e usam nas edições seguintes).

Este ano, a Caneca Andanças, reutilizável, será feita de novos materiais: policarbonato, mais resistente, elegante, reciclável e com menos impacto ambiental na sua produção.

Pulseiras Identificadoras que dá gosto usar

As pulseiras de plástico que identificavam os participantes também serão abolidas: este ano, serão feitas de tecido. Serão mais agradáveis ao tacto, respiram, são laváveis, mais bonitas - e poluem muito menos. Para mais, são de produção nacional, o que representa investimento no país, redução de custos e menos gasto de energia na produção, transformação e transporte. Muitos saudosos do Andanças continuarão a usá-las todo o ano, como já é hábito.

Desperdício Zero!

Hoje, a reciclagem é um hábito que começa a ganhar força na consciência dos portugueses, mas mais do que nunca, importa alertar para a importância de reduzir o lixo que se produz, para além de reciclá-lo.

No Andanças, pratica-se a recolha selectiva de resíduos para reciclagem (há pontos de recolha de embalagens em todo o recinto do festival; de resíduos orgânicos na cantina, cozinhas e bares, encaminhados para compostagem e fertilização de agricultura biológica local; de óleos alimentares e de pilhas usadas); na instalação de cinzeiros em todo o recinto; na monitorização dos consumos e poupança de água (pela introdução de torneiras automáticas nas instalações sanitárias do parque de campismo, e recirculação de águas usadas dos duches para os autoclismos do campismo); na monitorização e redução do desperdício alimentar na cantina; na sensibilização para a utilização de energias renováveis (duche solar, cozinha solar – sim: há bolos cozinhados com energia solar!); na redução da poluição da água e do solo (através do uso de detergentes “mais amigos do ambiente”); no reforço da comunicação e informação ambiental (ao nível da sinalética em todo o recinto, da eco-formação/sensibilização dos voluntários, do acompanhamento diário do público, e das eco-notícias no jornal Andanças); e nas actividades de cariz ambiental e educativo (jogos de descoberta da natureza, percursos de interpretação, visitas guiadas, eco-conversas na igreja, e ateliers).

Pequenos Grandes Passos...até onde?

Temos vindo a ensaiar alguns pequenos grandes passos nestas andanças por um mundo mais sustentável. No entanto, face à dimensão, contexto local e reais impactos ambientais do Andanças, o muito que foi feito é, efectivamente, pouco em termos de sustentabilidade. Falamos dos impactos de transportar, alojar, dar de comer e de beber, luz e som para pôr a dançar e entreter à volta de 30.000 pessoas durante uma semana, numa pequena aldeia da serra, de uma freguesia com cerca de 1.700 habitantes, com toda a logística em termos de equipamentos e recursos materiais e humanos que isso envolve.

Um olhar mais atento percebe desde logo que há muito a fazer, tanto ao nível do consumo de energia e recursos naturais, alimentação e usos da água, redução e separação dos resíduos, redução das emissões, preservação da natureza e biodiversidade; como ao nível da monitorização, avaliação dos resultados e melhoria do desempenho local; e em tornar a mensagem mais eficaz para aumentar a consciência e participação dos diversos agentes envolvidos – desde o público em geral, aos diversos parceiros e rede de fornecedores – num desejável efeito dominó.

Mas estamos no bom caminho. (via Miguel Costa - Associação PédeXumbo)

 

publicado por immagazine às 11:36

Janeiro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
arquivos
2014

2013

2012

2011

2010

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO